quarta-feira, 2 de maio de 2012

Fim de tarde


                                                                   Que saudade é essa que não sei de onde vem?
                                                                   que tem cor de solidão,
                                                                   que tem dor de ser paixão,
                                                                   que tem nome de ninguém?


                                                                  Tenho saudades que o tempo não apaga,
                                                                  que o vento sempre trás...
                                                                  Saudade que pouco a pouco me amarga,
                                                                  que pouco a pouco me dói mais...


                                                                 Tenho saudade que mesmo doendo, as vezes me faz bem.
                                                                 Saudade que me faz renascer refletindo a tarde finda...
                                                                 Saudade que as vezes é bem vinda,
                                                                 mas que não sei de onde vem...

2 comentários:

  1. NOSSA...... QUE LINDO
    PARABÉNS !!!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Rose! obrigado pelos comentarios.... Bom ter vc aqui, Bjo, fica com Deus....

    ResponderExcluir